terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

XIII

- Francisco!
- Sim detective.
- Quero que dês prioridade à análise do telemóvel. Assim que o rastreio de impressões digitais estiver concluído quero um relatório detalhado do seu conteúdo.
- Sim detective

Martinho dirige-se para a escada. A equipa forense está a arrumar o equipamento. O trabalho continuará no laboratório. Martinho segue para o carro. Ainda não acredita que vai ter de investigar o assassinato de Pedro. E Johanna onde estará?


Johanna olha para os outros vídeos na pasta. Tenta ver um com a data do dia se supunha ser o do assassinato do homem encontrado no armazém fechado perto do porto. Não consegue. Uma caixa de diálogo pede uma palavra passe e impede que o vídeo corra. A pasta contém mais cinco vídeos e todos estão protegidos da mesma forma. Tenta usar o seu nome e o nome da mãe de Pedro, sem sucesso. Dá uma pancada no tampo da secretária, tentando descarregar a frustração. Levanta-se da secretária e olha em volta. “Quem é que te matou Pedro? E porquê?”, são as dúvidas que lhe assaltam o espírito. Continua a perguntar como que esperando que Pedro pudesse responder: ”O que te fez ir àquele armazém?”. Passeia de um lado para o outro à frente da secretária. Recorda uma conversa que tivera com Pedro depois de um dos telefonemas:

- Se esse palhaço cometer o erro de se deixar localizar, eu mato-o!
- Que violência Pedro… prefiro que o apanhemos.
- Há pessoas que só entendem uma linguagem…
- Pegando no que dizes, não seria melhor criar condições para que lhe fizessem o que fez aos outros.
- … mas que perversa que tu estás… mas temo que se não fores ainda mais perversa, e quero com isto dizer considerares a hipótese de o incapacitar, ele não perderia uma luta.
- Talvez tenhas razão…


De repente ouve uma voz metálica dizer “ sequência de auto destruição iniciada”. Na parede aparece um relógio em contagem decrescente. Começou em cinco minutos. Pega no papel que estava no tampo da secretária e dirige-se para a porta mas não há forma de abrir. Bate com os punhos na porta. Olha em volta tentando manter alguma calma. Sem saber como uma porta abre-se na parede do lado esquerdo da sala. Corre para ela. Entra assim noutra sala repleta de armas. Ao fundo por trás de uma vitrine com um fato de aspecto “espacial” abre-se uma porta que parece ser de um elevador. Corre para a porta aberta. As portas fecham-se atrás de si e começa a descer. Em trinta segundos, que lhe parecem uma eternidade, está na garagem. Olha em volta, não parece haver porta! Decide entrar no Jeep Wrangler, quando ouve “dois minutos”. Assim que entra no carro uma parede começa abrir-se como se de uma porta se tratasse. O carro tem a chave na ignição. Liga-o e arranca em direcção à porta que se abrira. Sai para uma rua estreita. Pára antes do primeiro cruzamento. Está a uma distância que considera segura. Olha para trás e assiste ao prédio a desmoronar-se como um castelo de cartas. Olha para o tablier. Há um relógio em contagem decrescente com um minuto. Sai do carro a correr. Vai em direcção ao seu carro. A explosão do Jeep quase a faz cair. Entra no seu carro e arranca.


- Chamaste Francisco?
- Sim Detective?
- O que é isso à tua frente?
- É a razão pela qual o chamei.
- Não me digas que essa bolacha é o telemóvel do Pedro?
- Bem…
- O que é que tu fizeste?
- Eu não fiz nada!… isto é, apenas o tentei conectar ao computador…


(continua)


FATifer

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Desire,

      Sim, continuo a prometer um dia chegar ao fim… não sei é bem quando ;)

      Abraço,
      FATifer

      Eliminar
  2. Oh, my god...Lá foi tudo para o espaço! Espectacular!!!

    Um episódio por dia, nem sabes o bem que me fazia!!:)

    Desta vez não vou alongar-me, FAT. Não quero sentir-me responsável por graves perdas e danos...:)

    Beijinhos de boa noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janita,

      Que bom que gostaste desta opção que tomei! :)

      … não posso prometer mas posso tentar… ;)

      Beijinhos,
      FATifer

      Eliminar
  3. 20s - É o tempo que tenho, para dizer: Isto está do baril
    olho em redor, uma parede se abre e escapo-me daqui
    eheheheh
    fuuiiiiii

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. noname,

      Como é bom ver os leitores entrarem no espírito ;)

      Beijinhos,
      FATifer

      Eliminar
  4. E pimba! Estas trampas das incompatibilidades dos usb's dão nisto...

    LOOOOOOOOOOOOOOOOOL

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LOL!!

      Meu amigo, tu lá sabes! ;)

      Grande abraço,
      FATifer

      Eliminar

É favor comentar se acha que tem algo a acrescentar…
Aviso apenas que me reservo o direito de eliminar qualquer comentário que entenda, porque sim!