sábado, 9 de janeiro de 2016

IV

Depois feitas todas as fotos o corpo é finalmente retirado das correntes e inspecionado. Não tem identificação e, como aparentava, está bastante desfigurado.

- Pode levá-lo Vieira e diga ao Dr. Fernandes que esta autópsia deve ser a prioridade!
- Sim menina.
- … continua a chamar-te menina.
- Pedro, ele conhece-me desde que nasci.
- O que te parece isto tudo?
- Não sei… ou melhor, parece-me um quadro e o pintor é outro!
- Estás a pensar o mesmo que eu?
- Sim… pode ser ele… a vítima!
- Será?... já sei, vamos esperar pelo que diz o Dr. Fernandes…
- … sim… mas lembra-te que nunca teremos a certeza…
- … nunca digas nunca.
Martinho escutava a conversa sem se querer intrometer. Claramente havia muito sobre o “amigo” de Johanna que não constava do ficheiro que tinha lido.

Os três saíram pela porta principal do armazém. Era quase hora de almoço. Johanna convidara Pedro para almoçar com eles mas este recusara. Encaminhava-se com Martinho para o automóvel enquanto Pedro seguia na direcção oposta, encaminhando-se para o seu. Entes de entrar no carro Pedro olhou na direção deles e Johanna acenou-lhe adeus.

- Onde queres ir almoçar?
- Não sei Martinho, escolhe tu.
- …bem sendo assim, vamos à tasca do Manel comer umas sandes de torresmos…
- Pode ser…
- Johanna?! Tu nem ouviste o que eu disse pois não?
- …hum? O quê?
- Bem me parecia. Estás bem?
- …
- Eu tentei fazer de conta mas é mais forte do que eu e tu sabes!… queres contar-me o que ainda não me contaste sobre o teu “amigo”?
- Martinho…
- … ok esquece, vamos almoçar.


Pedro segue de carro por uma rua estreita que parece acabar num beco. O carro imobilizado é percorrido por um feixe verde. O que parecia uma parede abre-se e ele entra.


Johanna e Martinho entram no restaurante do costume. Sentam-se na mesa de costume. O empregado do costume serve-lhes o costume.

- Não sabia que tinhas mantido contacto como Pedro.
- Não tinhas de saber! E não mantive…
- Apenas assumi porque ele disse que tinha ligado mas já vi que não queres falar do assunto…
- Ele deu-me um número para lhe ligar em caso de necessidade, só isso… e sim não quero falar do assunto.
- O tempo está…

Johanna fuzila Martinho com o olhar, este sorri mas não insiste. Acabam a refeição em silêncio, eles, que no restaurante é quase impossível ouvir-se a pessoa do lado sem que esta grite.
De volta ao escritório Johanna senta-se ao computador a ver a fotos da cena no crime. Abre uma pasta com outras imagens. Coloca lado a lado uma imagem de um rosto quase desfigurado e a imagem da cena do crime “naquele ângulo”. Inclina-se para a frente e imediatamente se recosta na cadeira libertando um suspiro que revela um misto de desalento e resignação.

- Já confirmaste que é o mesmo padrão geométrico.
- Sim.
- E agora?
- Agora esperamos pelo resto, em particular a autópsia.
- Ok…


Pedro está numa sala escura. Apenas um fio de luz contorna o tecto. Na parede em frente dele estão projectadas um conjunto de imagens para as quais olha em silêncio. Levanta-se da cadeira e dirige-se à parede à sua esquerda. Coloca a palma de mão num rectângulo quase imperceptível. Depois de uns segundo ouve-se um som de fecho a abrir e uma porta abre-se lentamente à sua frente. Entra numa divisão com as paredes coberta de armas. Penduradas nas paredes estão desde lança rockets, espingardas de assalto, metralhadoras e pistolas, do lado esquerdo, a todo o tipo de espadas, bastões e facas, do lado direito. Em frente um conjunto de vestimentas para todo o tipo de operação de combate. Dirige-se ao centro da parede do fundo da sala e fica a olhar fixamente para o fato colocado numa vitrine em local de destaque.



(continua)

FATifer

8 comentários:

  1. E eu, já prontinha para a continuação
    eheheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. noname,

      … amanhã há mais ;)

      Beijinho,
      FATifer

      Eliminar
  2. Olá, FAT!

    Independentemente, do arsenal que o Pedro tem em casa e do secretismo que envolve o local onde tudo está guardado e da minha curiosidade me ter deixado 'alerta', a minha atenção está voltada para o resultado da autópsia!
    É que segundo a medicina legal forense: os cadáveres 'falam':)

    Também estou pronta - e ansiosa - para a continuação.

    Beijinhos.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janita,

      É verdade… talvez amanhã vejas alguma da tua curiosidade saciada ;)

      Beijinhos,
      FATifer

      Eliminar
    2. :) Amanhã cá estarei!!

      Beijinhos.

      Eliminar
  3. Não tenho andado muito pela blogesfera... e ainda não me tinha dado conta deste thriller!
    Muito bom!
    Ansiosa,tb, pela continuação :)

    Beijinhos e bom fim de semana :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. BM,

      Ora ainda bem que te juntas ao clube dos que estão a gostar. :)

      Como disse, amanhã há mais.

      Beijinhos e bom fim de semana para ti também,
      FATifer

      Eliminar

É favor comentar se acha que tem algo a acrescentar…
Aviso apenas que me reservo o direito de eliminar qualquer comentário que entenda, porque sim!