domingo, 16 de fevereiro de 2014

Monólogo de mim… XVII

Passo regularmente por um homem e um cão, ambos velhos, numa rua estreita… nunca percebo quem está a passear quem… pois, se calhar, apenas estão ambos a passear, só isso.

Porque que é que procuramos sempre significados, propósitos ou explicações?

Dou comigo a olhar para o chão e a ver na calçada uma metáfora para a sociedade… pedras metidas à marretada… nem todas regulares mas com aspecto parecido e ordenadas enquanto a terra as prende…  Porque é que não posso apenas ver a calçada como algo que é? Um pavimento…

Se ao olhar um arco-íris, me pusesse a pensar no fenómeno óptico que é e como se explica, será que não perderia o encanto?

Continuo a fazer demasiadas perguntas sem me preocupar realmente em encontrar as respostas… serei assim porque tenho este privilégio de o poder ser?


FATifer

Sem comentários:

Publicar um comentário

É favor comentar se acha que tem algo a acrescentar…
Aviso apenas que me reservo o direito de eliminar qualquer comentário que entenda, porque sim!